Logo Site

Vereador dinâmico e inovador que prioriza trabalho transparente, com mediação e sustentabilidade. O mandato é embasado em argumentos e pareceres técnicos. Visa atender demandas coletivas da cidade de Campo Grande - MS.

CONHEÇA MAIS
Saúde
25/07/2019
Médico da USP revela número alarmante de mortes por poluição do ar e ressalta ação com monitoramento
Médico da USP revela número alarmante de mortes por poluição do ar e ressalta ação com monitoramento

 

Clóvis Lasta Fritzen, Thiago Rangel Rodrigues, Eduardo Romero, Paulo Saldiva, Hamilton Pavão, Widinei Fernandes e Gabriela Zacalusni

Por ano, em média, morrem 50 mil pessoas no Brasil por conta de problemas agravados ou gerados a partir da poluição do ar. O número é praticamente o mesmo de mortes no trânsito. Estes foram alguns dados apresentados pelo professor Paulo Saldiva, da USP, que palestrou nesta quarta-feira, 24, durante a 71ª Reunião Anual da SBPC, maior evento científico da América Latina que está acontecendo no campus da UFMS em Campo Grande.

 

O médico trouxe pesquisas realizadas em São Paulo e outras cidades do País, além de dados internacionais que mostram a relação do modo de vida, o local que se vive, o tempo de deslocamento e exposição no trânsito e os reflexos que a poluição do ar junto a tudo isto ou apenas ela traz de malefícios para o ser humano.

 

Paulo Saldiva destacou durante a palestra o fato de Campo Grande estar com projeto para instalar a primeira estação de monitoramento da qualidade do ar. 'Recebi esta informação aqui hoje e fiquei muito feliz. Imaginem vocês que Campo Grande vai ter e Brasília, que é onde está sediado o CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente) não tem', destacou.

 

A estação de monitoramento da qualidade do ar, que foi cedida pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em projeto coordenado pelo professor Doutor Hamilton Pavão, já está no campus da UFMS. A instalação e operação da mesma dependem agora de alguns trâmites burocráticos para liberar uma verba para a operação. Os R$ 300 mil reais anuais necessários foram incluídos no orçamento municipal deste ano por meio de uma emenda do Vereador Eduardo Romero (REDE).

O parlamentar já havia apresentado a emenda ao orçamento para 2018, mas foi vetada pelo executivo e agora foi incluída no exercício orçamentário do ano de 2019. O montante integra o orçamento da Secretaria de Meio Ambiente e Gestão Urbana (SEMADUR), mas o convênio para operação e manutenção da estação contará também com a Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), que retomará a divulgação dos boletins de vigilância da qualidade do ar e poderá viabilizar repasses federais destinados para esse monitoramento nos municípios.

 

 'Estive no INPE no dia que a estação foi liberada para a universidade. Como ambientalista, ser humano preocupado com a causa ambiental, saúde, qualidade de vida e legislador fiquei muito contente e ver que nosso mandato conseguiu colaborar com o projeto dos professores da UFMS e com a cidade, que entrará na seleta lista de municípios que realizam esse monitoramento no Brasil ', disse o parlamentar.

 

Uso e instalação

De acordo com o professor de física da UFMS e coordenador do projeto, Dr. Hamilton Pavão, o planejamento é montar a estação próxima ao monumento da UFMS, conhecido como paliteiro, que é uma área próxima ao tráfego intenso de veículos, na Avenida Costa e Silva.

 

O professor de física da UFMS, Dr. Widinei Fernandes, destaca que com o monitoramento será possível fazer levantamento de alguns gases maléficos como o monóxido de carbono e óxido de enxofre, este que é proveniente da queima de óleo diesel. Além disso, será de grande importância para medir material particulado como a fuligem dos incêndios urbanos, especialmente no período que ocorrem maior número na cidade.