Logo Site

Vereador dinâmico e inovador que prioriza trabalho transparente, com mediação e sustentabilidade. O mandato é embasado em argumentos e pareceres técnicos. Visa atender demandas coletivas da cidade de Campo Grande - MS.

CONHEÇA MAIS
Drenagem
11/06/2019
Pesquisador do Alabama destaca uso de inovações e mudança de hábitos para eficiência em drenagem
Pesquisador do Alabama destaca uso de inovações e mudança de hábitos para eficiência em drenagem

 

Toda vez que chove em Campo Grande, por pouco que seja, sempre traz transtornos com alagamentos e enchentes, que acabam entrando nos imóveis e entupindo as tubulações. Isto é por conta de um sistema de drenagem ineficiente ou que não comporta mais a necessidade da cidade. O tema foi discutido durante painel internacional realizado na Câmara Municipal, no dia 7 de junho.

 

O painel foi realizado pela Frente Parlamentar de Vereadores Ambientalistas, que é coordenada nacionalmente pelo Vereador por Campo Grande, Eduardo Romero (Rede), pela Câmara Municipal e o mandato do vereador Eduardo Romero. Foram cinco palestrantes e no final feito debate sobre como as colaborações dos convidados podem ser absorvidas pela cidade, com base em projetos já em andamento e outros ainda não licitados.

 

Um dos palestrantes do painel foi o professor doutor José Goes Vasconcelos Neto, da Universidade de Auburn (Alabana, EUA), que tem 20 anos de estudos sobre drenagem nas cidades, e trouxe a temática ‘Experiência Internacional em Drenagem Urbana’.

 

Durante o painel que teve como temática ‘Drenagem Urbana – Desafios e Oportunidades’, José Goes Vasconcelos Neto destacou as inovações e desafios para Campo Grande apontando, por exemplo, o uso de bueiros inteligentes como forma de controlar sedimentos antes que estes entrem na rede de drenagem. O dispositivo é fruto de uma lei municipal de autoria do vereador Eduardo Romero (Rede), mas que ainda não foi colocada em prática. Trata-se de um compartimento que retém sedimentos e que ‘avisa’ quando necessita limpeza. O acumulado pode, inclusive, servir como fonte de coleta de recicláveis como latas.

 

O estudioso destacou que as cidades gastam milhões para executar redes de drenagem, mas é preciso também pensar na manutenção desta rede e que o cidadão precisar imprimir hábitos que colaborem para o controle da fonte dos sedimentos, uma vez que este problema das cidades não é novo, é recorrente e atinge o mundo todo. Ele citou, por exemplo, que canteiros de obras geram ao menos 100 vezes mais sedimentos que qualquer outro tipo de uso de solo. ‘É importante ter perspectiva na forma como lidar com esses problemas, aprender com o novo, adotar novas práticas. A batalha não tá ganha, tem que continuar investindo, estudando’, disse.

 

A palestra do professor foi acompanhada por agentes públicos encarregados das obras e do planejamento urbano da cidade, além de professores, acadêmicos e ambientalistas. Foi uma oportunidade de dialogar com um dos maiores estudiosos da drenagem urbana no mundo.

 

Confira na íntegra a palestra do professor doutor José Goes.