Logo Site

Vereador dinâmico e inovador que prioriza trabalho transparente, com mediação e sustentabilidade. O mandato é embasado em argumentos e pareceres técnicos. Visa atender demandas coletivas da cidade de Campo Grande - MS.

CONHEÇA MAIS
LOA 2020
29/10/2019
Urbanismo ficou com 55% das emendas apresentadas pelos vereadores para orçamento 2020
Urbanismo ficou com 55% das emendas apresentadas pelos vereadores para orçamento 2020

 

Relator da LOA 2020, Eduardo Romero, tem até o dia 18 de novembro para apresentar parecer

Drenagem, pavimentação, reforma de escolas, manutenção de vias não pavimentadas, abertura de ruas, serviços de esgoto foram os serviços mais solicitados por meio de emendas dos vereadores ao Projeto de Lei 9533/19, de autoria do Executivo, que trata da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício 2020. Os pedidos na área de urbanismo representaram 55,4% das emendas, de acordo com o relator da Lei Orçamentária Anual (LOA) e presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Eduardo Romero (Rede).

 

Depois de urbanismo, a área que teve mais emendas foi a de desporto e lazer (22,3%), seguida de transporte (14,8%), educação (10,8%) e saúde (6,04%), habitação (1,9%), assistência social (1,55%), segurança pública (1,21%). Administração, trabalho, cultura, direitos da cidadania, gestão ambiental, agricultura, comércio e serviços foram pastas que receberam menos de 1% de emendas cada uma.

 

Órgãos

 

Entre as pastas municipais que tiveram maior número de emendas apresentadas pelos vereadores, a de infraestrutura e serviços públicos (Sisep) teve 56,6% dos pedidos. A Funesp teve 19,5%, seguida da Agetran (8,3%, Semed (5,9%), Fundo Municipal de Saúde (2,9%). As demais secretarias, fundos e autarquias ficaram com menos de 2% dos encaminhamentos de emendas parlamentares.

 

LOA 2020

 

O orçamento de Campo Grande para 2020 prevê R$ 4,3 bilhões, crescimento de 7,3% em relação ao valor que foi proposto para este ano. A LOA 2020 foi entregue pela prefeitura à Câmara Municipal no dia 30 de setembro e precisa ser votada até a última sessão da Câmara deste ano, que é 19 de dezembro, com dois turnos de votação. O relator acredita que seja votado antes do prazo limite.